HORTAS & AÇÕES

246516725_10208497831718592_5340917090526412511_n.jpg

O projeto Hortas Escolares permite que os alunos
possam desenvolver oficinas práticas de plantio
em hortas e vivenciar os trabalhos. Sua participação
no projeto  representa um meio importante de
produção de conhecimento, de organização e de participação em comunidade.


A proposta da ONG Cidades sem Fome nesse projeto,
é transformar todo o espaço das escolas em espaços pedagógicos. Entendemos que, dessa maneira, as
ações contribuirão para o enfrentamento dos
problemas que se identificam nas comunidades
onde vivem, tendo os alunos como agentes de transformação, de intervenção na  preservação e na defesa do meio ambiente, dos bens culturais e históricos.

ramo
WhatsApp Image 2022-01-27 at 15.27.07.jpeg

Dentro desse paradigma, as crianças passaram a ter
espaços cada vez mais restritos para vivenciarem o
prazer natural de terem contato com elementos do
ambiente do qual fazem parte.  Para a educação
fundamental, as atividades de educação ambiental
nas escolas inserem-se em diversos temas
transversais, principalmente meio ambiente, saúde e
consumo, nas áreas do saber (disciplinas), de modo
que impregne toda a prática educativa, e ao mesmo
tempo, crie uma visão global e abrangente da
questão ambiental, visualizando os aspectos físicos
e histórico-sociais. É de suma importância destacar
a preocupação demonstrada pela maioria dos
professores em trabalhar educação ambiental nas
escolas. Esta preocupação torna-se ponto favorável
para a implantação de novas idéias e propostas
ligadas à área.

No Brasil de hoje, a má alimentação não é problema
exclusivo de pobres nem de ricos, gente de todas as
classes sociais se alimentam mal. Os problemas
decorrentes de uma alimentação inadequada, como
desnutrição, anemia, obesidade e doenças crônicas
não transmissíveis, afetam tanto crianças, quanto
jovens e adultos. Por isso, a educação alimentar
desde a mais tenra idade é fundamental. As escolhas
alimentares são experiências aprendidas. A
familiaridade com o alimento é fator preponderante
para sua aceitação e a partir daí aprende-se a gostar
do que está disponível. A escola é indiscutivelmente
o melhor agente para promover a educação
alimentar, uma vez que é na infância e na
adolescência que se fixam atitudes e práticas
alimentares, difíceis de modificar na idade adulta. 

CULTURA SAUDÁVEL

Hortas
Escolares

A maior parte das cidades brasileiras possui um
grande número de escolas com grandes áreas físicas
sem nenhuma utilização específica, o que representa
um passivo para os administradores e educadores.
O projeto quer utilizar de maneira racional os espaços existentes, aproveitando-os para a produção de
alimentos, criando uma interface entre alunos, professores e comunidades do entorno dos centros educadores, visando permitir a produção de alimentos para as famílias mais necessitadas e criar vínculos ambientais com os jovens.

WhatsApp Image 2022-02-11 at 11.06.34 (4).jpeg

A horta inserida no ambiente escolar servirá como
um laboratório vivo que possibilita o
desenvolvimento de diversas atividades
pedagógicas em educação ambiental e alimentar
unindo teoria e prática de forma contextualizada,
auxiliando no processo de ensino-aprendizagem e
estreitando relações através da promoção do
trabalho coletivo e cooperado entre  os agentes
sociais envolvidos.

A problemática ambiental é uma das principais
preocupações da sociedade moderna,
desencadeando, por isso, uma série de iniciativas no
sentido de reverter a situação atual de
conseqüências danosas à vida na Terra. Uma dessas
iniciativas é a Educação Ambiental que as
instituições de educação básica estão procurando
implementar, na busca da formação de cidadãos
conscientes e comprometidos com as principais
preocupações da sociedade. Aliado a este fator, o
rápido processo de urbanização das cidades, que
substitui espaços verdes por concreto, diminui o
contato direto das crianças com todos os elementos
bióticos da natureza da qual é parte integrante.

WhatsApp Image 2022-02-11 at 11.06.34 (7).jpeg

A finalidade da educação alimentar é transformar o
alimento em um instrumento pedagógico,
transpondo os limites do ato alimentar, fazendo
com que este se transforme em um ponto de
partida para novas descobertas. Na infância é que o
ato alimentar pode ser vastamente explorado, pois
é nesta fase que a curiosidade é extremamente
aguçada, os preconceitos ainda não foram
adquiridos e onde surge a possibilidade de
formação de um senso crítico mais amplo. Por esse
motivo, as hortas escolares desempenham um
papel importante no desenvolvimento de bons
hábitos alimentares das crianças, uma vez que
familiariza os envolvidos com os alimentos.

GERAÇÃO DE TRABALHO

Hortas
Urbanas

A nossa proposta é inovadora em seu contexto ao recuperar e dar destinação social e econômica para áreas disponíveis e sem uso específico em nossa cidade. A inovação consistiu em dar um novo significado para as conhecidas Hortas Comunitárias, que na maioria das vezes eram construídas sobre um modelo de natureza ideológica, de socialização ou de terapias ocupacionais. Ao utilizá-las como ferramenta, o projeto cria oportunidades de geração de renda para pessoas em situação de vulnerabilidade social.

WhatsApp Image 2022-02-11 at 11.06.34 (2).jpeg
240444772_3777257389079805_4549132804067726205_n.jpg

Transforma um processo embrionário e semi-adormecido em
um "Negócio Social", aproveitando as potencialidades locais e
as demandas sociais existentes em nossa cidade. Além de dar
um sentido e uma utilidade para a grande quantidade de áreas sem utilização específica, que abrem espaço para moradias de risco, destruição do meio ambiente, criatórios de mosquitos
da dengue e núcleos de violência. A estratégia envolve uma
forte rede de parcerias que, atuando de forma conjunta,
geram resultados expressivos nas propostas de geração de trabalho e renda e na melhora nutricional dos envolvidos.
Essa forma inovadora de criação de "negócios sociais
urbanos" potencializa diversos ativos locais que antes, sem
serem combinados, eram desperdiçados e comprometiam
o desenvolvimento das estratégias de inclusão social
de comunidades.

Filial pintado
Salmoura
 

AGRICULTURA SUSTENTÁVEL

Agricultores Familiares

O projeto Hortas Comunitárias, com resultados
expressivos na área urbana da cidade de São Paulo,
foi adaptado e reaplicado para a área rural da
pequena cidade de Agudo no Rio Grande do Sul, o
estado mais meridional do Brasil. Esta pequena
cidade que apostou desde os anos oitenta no cultivo
do tabaco está lutando atualmente contra as
dificuldades que surgiram dessa monocultura.

218083572_3736855069786704_7123742229023890741_n.jpg
Folha verde clara
Folha verde
Folha verde escura
Dentro da estufa

→ 7 estufas com materias alternativos já foram construídas pela CSF.
 

→ Atualmente 2 outras estufas estão
sendo planejadas.

 

→ 3 agricultores estão sendo treinados na diversificação de cultivos, agregação de valor e criação de oportunidades para novos negócios.
 

→ No projeto estão sendo utilizadas 2 estufas agrícolas que foram construídas de acordo com a técnica desenvolvida pela organização Cidades sem fome.

VAMOS CONVERSAR

Agradecemos a mensagem!

 
folhas de menta